quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Livre?!?

Não, não sou livre. Ou pelo menos não tanto quanto gostaria! O que me prende? Não sei... Não consigo perceber...
Ou talvez consiga, mas não quero admitir :-/
Sinto-me frágil. A qualquer momento, posso quebrar e estilhaçar-me pelo mundo, pela cidade onde vivo, junto daqueles de quem gosto.
Por favor, mostra-te e mostra-me o meu caminho! Se te quiseres fazer de díficil, não me mostrando rigorosamente nada... Pelo menos caminha comigo!

2 comentários:

Storyteller disse...

Estou a ver que a prosa poética está a sair muito bem...
Brincadeiras à parte, por mais livres que tentemos ser, há sempre algo que nos prende. Por vezes é uma corda grossa, bem visível, com pouca elasticidade; outras vezes é um simples fio de seda, quase imperceptível e muito elástico. Mas qualquer deles é forte e é esse fio da Vida que nos permite sermos mais ou menos livres.
Se calhar nada disto faz muito sentido, mas é mesmo o que consigo dizer a esta hora da noite...

Glitering disse...

Como eu te entendo... por mais livre que me queira sentir, ainda estou presa a alguém que de forma muito subtil me deixou assim. Às vezes só me apetece gritar para que esse fio, esse laço, essa corda que me prende, se possa partir com o meu grito de socorro. Detesto sentir-me presa...