domingo, 11 de janeiro de 2009

Para ti

Quero escrever para ti. E porquê? Muitas vezes, mesmo de forma dolorosa, ensinaste-me a amar. Pela simplicidade dos teus gestos, das tuas palavras, do teu olhar, da tua forma de viver, mostraste-me um caminho que desconhecia. Achava que não era possível. Que estava segura, que tinha ancorado o meu barco em bom porto e que conhecia todos os caminhos. Não! Hoje, assumo que não conhecia e não sei se algum dia conhecerei. Sem te aperceberes, conseguiste fazer renascer em mim tudo o que há de bom. Conquistaste-me pela pessoa que és. Pela tua sensibilidade e pela tua forma de viver.
Quero agradecer-te... pelas vezes que me dás a mão e não me deixas afundar, pelas vezes em que sentes que me basta um sorriso teu... por tudo!
É para ti que escrevo, porque, sem te dares conta, ensinaste-me a amar.

2 comentários:

Storyteller disse...

Muito, muito bonito. Aliás, lindo!
E percebe-se bem que vem lá daquele cantinho especial do teu coração; daquele cantinho onde está o Amor.
E de certeza que não vais deixar o teu coração ancorado, mas sim que vais deixá-lo continuar a navegar.

Porque acredito no amor disse...

Deixarei continuar, é claro! Se ancorar... morre! Sim, tudo o que escrevi é sentido e desse cantinho de que falas...